Reflexoterapia Podal

 

O bem-estar reconquistado de modo 100% natural

com  a Reflexoterapia dos Pés,

ou Reflexologia Podal, como também é conhecida.

                                                                                                                                                                             (Leila L. S. C. Carneiro - CRT 46636)

 

    


 

*

 

1. O que é?        2. Como a Reflexologia Podal é aplicada?          3. Qual a relação entre os pés e a saúde?           4. Uma só visita será o bastante?            5. Atenção! 

 6. Há contraindicações?                7. Sobre mim              8. Você deseja mais informação sobre a Reflexologia Podal?              9. E para quem gosta de poesia...

 

                                                                                                                                                                     *

   

O que é?

É uma técnica de estímulo de áreas e pontos específicos dos pés, que tem como objetivo auxiliar a promoção do equilíbrio entre corpo-mente-espírito.

*

Como a Reflexoterapia Podal é aplicada?

A cliente se recosta, confortavelmente, e a terapeuta aplica técnicas de estímulo e movimentos precisos a determinadas áreas dos pés, ou mãos quando necessário, sem a utilização de quaisquer agulhas ou instrumentos.

Observando à distância, a Reflexoterapia Podal parece massagem, mas não o é. A massagem terapêutica quando aplicada nos pés tem como objetivo o benefício local, já a Reflexoterapia estimula a energia vital que existe dentro de cada um de nós,  através do estímulo de pontos de energia, com o objetivo de relaxar e promover a homeostase.

Somente após uma primeira conversa, e de uma observação tátil e visual dos pés, o trabalho poderá ser iniciado.

 

 
   

 

  Relaxando... revigorando...

 

*

 
   

Qual a relação entre os pés e a saúde?

Segundo a fisioterapeuta americana e fundadora da Moderna Reflexologia Podal, Eunice D. Ingham, encontram-se nos pés áreas que refletem todas as partes do nosso corpo. Eunice levou anos aplicando a Reflexoterapia, observando e anotando os estímulos em áreas dos pés e os resultados que estímulos provocavam em seus clientes. Eunice D. Ingham entusiasmou-se com o estudo destas áreas reflexas, após conhecer o trabalho da “Terapia por Zonas” do Dr. William Fitzgerald.

 

*

 
   

Uma só visita será o bastante?

São indicadas, em geral, 10 sessões, uma ou duas por semana, para que sensíveis melhoras possam ser observadas. Recordando que, por ser este método 100% natural e cada pessoa única, algumas vezes resultados positivos são observados já nas primeiras sessões, outras vezes, após o término das 10 sessões os clientes decidem por retornar a cada 15 dias para manutenção; outras pessoas necessitam, inicialmente, de sessões mais frequentes e depois vão espaçando na medida em que os resultados tornam-se evidentes.

Tenho observado que a participação positiva do cliente, com a aquisição de uma postura de zelo por sua saúde, seja física ou emocional, com alimentação adequada e hábitos saudáveis, abrevia o tratamento. A sensação de relaxamento permite que o cliente preste mais atenção aos seus hábitos, cuidando-se melhor.

É importante frisar que os efeitos da Reflexoterapia Podal são cumulativos, ou seja, em cada nova sessão reforça-se a sensação de bem-estar e paz interior propiciada pela sessão anterior.

Apesar da não comprovação científica, muitos são os reflexologistas que procuram se aprofundar e compreender melhor como a Reflexoterapia promove o bem-estar das pessoas.  Nós observamos, com frequência, resultados surpreendentes que nos deixam a todos muitos felizes.

 

*

 
   

Atenção!

Nunca abandones o seu tratamento médico.

A Reflexoterapia Podal é uma Terapia Complementar.

 

***

 
   

Há contraindicações?

Variantes sutis na aplicação da Reflexoterapia Podal podem fazer grande diferença. O profissional sensível e experiente sabe disso. Não podemos "trabalhar os pés” de um jovem da mesma maneira que “trabalhamos” os de um idoso; sempre há importantes diferenças a serem consideradas.

Classicamente, até o terceiro mês de gestação, pessoas que se recuperam recentemente de um AVC, com flebites e tromboses, doenças infecciosas, contagiosas e outros.

 

 
   

 

                      

Alguns momentos da Reflexoterapia Podal.

 

*

 

 
   

Sobre mim:

Seguem alguns dos cursos que fiz, referentes às Terapias Complementares e à Educação:


Reflexologia Podal
, Heilpraktiker Institut, com Josefina Miralles – Barcelona, Espanha (1995);

Auriculoterapia, Instituto Heisei de Terapias, São Paulo, SP/Brasil (2003);

Massagem Terapêutica, Desportiva e Estética (1997),

e Terapia Floral de Bach (1997), Mave – Porto Alegre, RS/Brasil;

Psicologia Aplicada para terapeutas holísticos (2000) e

Reiki (2003)CEE-Escola de Terapias Alternativas, Porto Alegre, RS/Brasil.

Técnicas de Expresión y Psicomotricidad (1995), Fundación ICSE – Barcelona, Espanha;

Letras (Português-Hebraico) Licenciatura (1989), Universidade do Estado do RJ-UERJ. RJ/Brasil;

 

Obs.: alguns outros cursos feitos por mim poderão ser encontrados na parte destinada à Gravura, deste site.

 

*

 

 
   

Você deseja mais informação sobre a Reflexoterapia Podal?

Então, continue, por favor!

 

Há milênios, no Antigo Egito, já se usava um tipo de massagem nos pés com a intenção de promover a saúde. Outros povos também como, por exemplo, os chineses, os índios americanos sherokees.

 

 
   

   

Fonte: Arquivo de imagens  Google/Riflessologia Plantare.

 

 
   

Após muito tempo esquecida, a eficácia desta prática aguçou a curiosidade de alguns pesquisadores. O Dr. William Fitzgerald, médico em Londres, no início do século passado, descobriu que o corpo possui 10 zonas de energia que partem do topo da cabeça e vão até as extremidades dos dedos dos pés e mãos. Mais tarde, trabalhando com o Dr. Riley, a fisioterapeuta Eunice Ingham (1930), em Nova York, desenvolveu um tipo de massagem com pressões puntiformes nos pés, após um longo tempo de experimentação e prática. Ela havia conseguido localizar nos pés, inúmeras áreas e pontos que refletem todas as partes do corpo, confirmando, assim, o princípio de que "a parte contem o todo".

Através de um exame visual e tátil dos pés é possível localizar áreas e pontos que apresentam especial sensibilidade ao tato, sinais específicos para a Reflexoterapia.

Acredita-se que antes mesmo de que uma enfermidade se manifeste, a área reflexa correspondente nos pés, já anuncia um certo desequilíbrio energético; daí também o caráter preventivo da Reflexoterapia, como afirma o Dr. Frederic Viñas, pioneiros da Reflexologia Podal em Espanha.

Muitas moléstias resultam da tensão emocional vivida pelo homem de hoje, do estresse, e também por seus hábitos prejudiciais à própria saúde, à alimentação inadequada, calçados demasiadamente apertados, etc.

Um estado de tensão constante, duradouro ou súbito e intenso, como a perda de um ente querido, por exemplo, pode resultar em novas pautas de comportamento, na tentativa do indivíduo em adaptar-se às novas circunstâncias. Quando essas experiências não são intimamente superadas, o que poderia ser um desequilíbrio energético momentâneo, pode tornar-se crônico algum tempo depois, resultando em diversas enfermidades. Ataques intensivos de medo, por exemplo, segundo Avi Grimberg, fundador do Centro de Estudos Alternativos de Haifa, Israel, pode criar um desequilíbrio tal que, com o tempo, poderá interferir no corpo físico, podendo favorecer ao surgimento da diabetes; neste caso,  alguns reflexoterapeutas, como a espanhola Josefina Miralles, professora no  Heilpraktiker Institut, em Barcelona, acrescenta a importância do cliente em submeter-se, após algumas sessões, à nova consulta médica, a fim de que o seu médico possa observar se houve alguma melhora.

O Dr. Pavlov, fisiologista russo, foi o primeiro a introduzir o conceito de "reação global do organismo" diante da resposta de determinados estímulos externos e internos. Outros especialistas, à medida que pesquisaram, também concluíram que as relações entre a superfície e o interior do organismo se produziam em ambas as direções, quer dizer, do exterior ao interior e vice-versa. O inglês Dr. Head e o médico canadense Dr. Mackenzie observaram reações em zonas vizinhas ao correspondente segmento, e explicavam o fato com a participação do Sistema Nervoso através de suas fibras nervosas, na transmissão de estímulos cutiviscerais.

Muitos foram, ao longo dos últimos anos, os profissionais que se interessaram pela Reflexoterapia Podal, seus efeitos quando aplicada, e como estes aconteciam.

O que expus aqui é breve, mas para todos nós, o importante é que podemos observar resultados positivos com alegria.

Apesar da Reflexoterapia Podal não tratar, especificamente, um problema de saúde, e sim a pessoa em sua totalidade, buscando o alívio do estresse e a recuperação de um bem-estar e serenidade interior, podemos observar que, com a Ela, as crianças se mostram mais tranquilas, o que muitas vezes contribui ao aprendizado escolar; jovens observam um alívio dos desconfortos menstruais, acnes, etc.;  adultos observam maior segurança diante dos imprevistos de sua rotina pessoal, maior disposição; idosos costumam se sentir mais autoconfiantes, e observam uma elevação em sua qualidade de vida, tanto nos relacionamentos quanto em suas atividades diárias, voltando a elaborar projetos pessoais que haviam deixado de lado; atletas observam alívio da ansiedade, e assim maior disposição física e equilíbrio (condições muito importantes em práticas competitivas), e o alívio da tensão acumulada ao final de cada disputa. Sob o ponto de vista estético, observa-se um alívio de olheiras, um semblante mais relaxado e iluminado; algumas pessoas observam eliminação de líquidos, consequência do processo de eliminação de toxinas pela urina; diminuição da ansiedade; mais serenas, com um sono de melhor qualidade, a postura melhora, tanto física como diante da vida, o que acaba por repercutir positivamente na sua vida social. Estas são observações feitas, variáveis de uma pessoa para outra, mesmo não se tratando um problema específico.

A pessoa é um ser completo e a Reflexoterapia Podal a considera em sua totalidade, recorde-se;  Ela trata da questão energética.  Já a Medicina tem suas especialidades, métodos de diagnósticos e tratamento importantíssimos.  Uma vez mais recordo para que nunca abandones o tratamento médico e consideres a Reflexoterapia Podal  uma grande aliada sua.

Acredito que a Humanidade esteja caminhando para uma conscientização tal que, um dia, as Terapias Complementares serão consideradas aliadas imprescindíveis a todo tratamento médico.

Observamos nos dias atuais que muitas são as Terapias que visam à recuperação de um bem-estar pessoal. Eu, pessoalmente, conheço algumas que admiro, mas nenhuma me apaixonou tanto e nem me pareceu tão completa quanto a Reflexoterapia Podal.

É profundamente gratificante participar desta Era na qual vivemos utilizando as mãos, a sensibilidade e o conhecimento em prol do bem-estar de outras pessoas.

A senhora, ou senhor, que está visitando a minha página, poderá se perguntar qual a ligação entre a Reflexoterapia Podal e a Gravura. Eu lhe respondo: o trabalho com o próximo, utilizando as mãos, o estimulante estudo e aprofundamento técnico, a sensibilidade, algo em muitos lugares fora de moda, mas imprescindível à sobrevivência humana, e mais ainda, ao enriquecimento da própria Existência.

Muita Paz! Até Breve!

Leila.

 

*

 

 
   

Bibliografia:

Byers, D. Masaje Reflexológico de los Pies. IBIS, 1990, Espanha.

Dougans, I. e Ellis, S. Reflexologia. Cultrix, 1999, Brasil.

Dougans, I. The Big Little Book of Reflexology. Thorsons, 2003, Inglaterra.

Feliciano, A. e Campadello, P. Reflexologia: Ciência e Arte, Jaya, Ano 3, N.28, 1999, Brasil.

Grimberg, A. Reflexologia. Eg. Martinez Roca, 1995, Espanha.

Guillanders, A. Guia Completo de Reflexologia. Pensamento, 2008, Brasil.

Kunz, Bárbara, Reflexologia de la Mano. Tikal, 1994, Espanha.

Lambertucci, R. La Salud de los Pies. IBIS, 1992, Itália.

Norman, Laura. Reflexologia Del Pie. Martinez Roca, Espanha.

Viñas, F. La Respuesta Está en los Pies. Integral, 1997, Espanha.
 

*

 

 
     
   

E para quem gosta de poesia...

 

Essência


Caminhar firme,

Como dizem,

Não significa, somente,

Colocar os pés no chão

Um após o outro...

Mas também saber qual direção seguir...

Não significa ignorar o passado,

Mas guardá-lo na memória como lição cumprida...


... Em nossos pés,

Encontramos muito mais do que apoio,

Equilíbrio

E a delicada função de percorrer

Os muitos caminhos de nossa vida...

...Em nossos pés,

Encontramos

A nós mesmos,

Para construirmos uma vitoriosa existência

Pois, com seu grandioso trabalho,

Eles refletem, singelos,

Toda a nossa

Existência.

 
                                       (Leila L. S. C. Carneiro)

 *

 Até breve! Muita Paz!

*

reflexogravado@yahoo.com.br

*

Retornar à página principal

________________________________________________________________________________________________________________________________________